A RUA É LUGAR DE CRIANÇA?

Será possível brincar ou praticar esportes nas ruas nesta era de inseguranças ?

 

As ruas são os maiores espaços de lazer que temos e são diversas as atividades que podem ser feitas nelas, tomando os cuidados relativos ao trânsito e a segurança ; É dever dos adultos estimular as crianças a tomarem posse deste espaço para se divertir.

 

Espaços ao ar livre são ideais para correr, andar de bicicleta, rolar na grama e, principalmente, conhecer coisas novas. As crianças podem ter contato com árvores, flores, animais, explorar texturas, cheiros e sensações, experiências que nenhum jogo digital oferecerá, ainda que propiciem tantas outras experiências que também contribuem com o desenvolvimento dos pequenos.


A correria do dia dia, acabam reduzindo o tempo para essas experiências diferentes e divertidas ao ar livre.

 

É papel dos adultos resgatarem as brincadeiras nos espaços ao ar livre .

 

Algumas brincadeiras são mais conhecidas entre as crianças, por exemplo o famoso “taco” que tem o objetivo de derrubar um alvo que é defendido por uma pessoa com um bastão, enquanto outra lança uma bola com a mão; o futebol na rua também é muito comum, mesmo sem as traves ou campo.

 

Agora , se futebol pode ser jogado na rua porque não outros esportes?

 

O tênis por exemplo é um esporte tradicional que pode ser jogado em diferentes tipos de piso que são comuns em torneios oficiais , como a grama, o saibro e o piso asfáltico.

 

Assim como no futebol de rua onde adaptam-se os materiais para conseguir brincar, também podemos fazer isso com o tênis construindo a raquete com materiais alternativos (papelão e rolinho com folha de revista/jornal) e a rede pode ser uma corda ou qualquer outra coisa que possa passar a bola por cima.

 

Recentemente vi duas crianças que participam de um projeto social em Embu das Artes chamado Projeto Pense + Esporte ; descalças e usando o chinelo como “rede” o que me deixou muito feliz em ver que o esporte está sendo desmistificado como de “elite” e está sendo introduzido na rotina das crianças.

 

Agora resta-nos criar oportunidades para as crianças poderem se apropriar destes espaços como forma de diversão e desenvolvimento físico.

 

Num dos nossos trabalhos na escola Neuma Maria da Silva , região periférica da cidade de Mauá, no ABC paulista, onde temos um projeto de incentivo ao esporte através do " Circuito Tênis para Todos", ensinamos as crianças a produzir e materiais alternativos para brincarem com suas famílias em espaços alternativos. Nestas ocasiões incentivamos pais e familiares a praticarem o esporte Tênis de forma acessível a todos.

 

Vamos lá?!!! A rua pode e deve ser um espaço para as crianças também!

 

 

VALE RESSALTAR ALGUNS CUIDADOS PARA AS BRINCADEIRAS NAS RUAS

 

 


O que era algo comum na sua infância, hoje é desconhecido pela geração "Z" . Esconde-esconde, amarelinha, bolinha de gude e tantas outras. E não é só a tecnologia a responsável por essa mudança. A preocupação dos pais com a segurança de seus filhos, os privam de se divertir fora de casa.

Considere as dicas que servem para pais e professores do que se deve ensinar para as crianças sobre os cuidados quando brincarem nas ruas ou espaços ao ar livre:

 

Dê algumas dicas para que seu filho saiba como atuar nessas situações:

 

 

Trânsito: Olhar para os dois lados da via, ficar atento aos barulhos e só atravessar na faixa de segurança, por exemplo. Além de aprender a conviver na cidade, ele amadurecerá com essa responsabilidade. É importante e necessário ter acompanhamento de adulto para mostrar como agir na prática.

Explique os benefícios e malefícios do sol:
Seu filho só passa protetor solar quando está na praia? Pois mostre a ele a importância do uso diário, principalmente antes de brincar na rua, para não ter queimaduras. Por mais que esteja nublado, lembre-o que o mormaço também é prejudicial à saúde. Deve-se evitar os horários de pico, entre as 12h e 15h, mas não evitar completamente o sol. Muitas crianças sofrem hoje de deficiência da vitamina D por não terem quase nenhuma exposição aos raios solares!

Reforce a importância de dividir:
Quando brinca na rua, a criança interage com muitas outras e deve aprender a compartilhar os brinquedos. Afinal, nenhum pai quer que o filho seja o “dono da bola”, não é mesmo? No princípio, você deverá dar algumas dicas, mas depois ele se desenvolverá emocionalmente e aprenderá a lidar com as questões sociais de forma muito mais fácil.

Converse sobre os perigos:
Alerte o seu filho sobre a possibilidade de existirem pessoas má intencionadas, para que ele não se aproxime de desconhecidos durante a brincadeira. A inocência da criança é algo muito importante, mas é necessário deixar o seu filho consciente e preparado para lidar com estranhos.

Fique por perto quando ele brincar na rua:
Apesar de dar autonomia, lembre seu filho de que você estará sempre por perto. Não precisa ficar vigiando cada passo que ele dará, mas mostre que ele pode facilmente recorrer a você caso aconteça algo: um machucado, uma briga entre as crianças ou até mesmo vontade de ir para casa.

Estimule a criatividade:
Se vir que seu filho está em apuros, como em uma discussão sobre a brincadeira ou com a bola presa em uma árvore, espere antes de agir e ajudá-lo. Veja como ele articula as próprias soluções e exercita a criatividade para resolver sozinho as questões que precisa enfrentar.

Educar as crianças para brincar na rua é tão essencial quanto garantir essa atividade para o seu desenvolvimento! Além de exercitarem o corpo , as crianças que têm essa liberdade,

     

     


     

    REFERÊNCIAS:

     

    http://meucerebro.com/brincar-na-rua-faz-bem-ao-

    por Levi Alves Fernandes- Professor de Educação Física, especialista em iniciação em Tênis e Diretor do Instituto CADES

     

            Lucimara Loro  - Psicopedagoga - especialista em Educação Infantil, educação Inclusiva

    Share on Facebook
    Share on Twitter
    Please reload

    Siga
    • Facebook Basic Square